domingo, 11 de março de 2018

Informação, conhecimento e professores

Informação é algo extremamente abundante hoje. Qualquer questão é respondida por meio de uma busca no Google. A resposta vem rapidamente. Em milissegundos é possível obter as várias repostas possíveis para uma pergunta qualquer. E é nesse ponto que se encontra o problema. Qual dessas repostas escolher? Informação existe aos montes. Mas, e o conhecimento?

A tendência das pessoas, nestes tempos dominados pela pós verdade, é escolher a reposta que mais nos agrada. A escolhida, geralmente, é a resposta que confirma as ideias e visões que já temos sobre o mundo. Nesse momento, temos que lembrar de Nietzsche que dizia que “o maior inimigo da verdade não é a mentira, mas sim as convicções”. Ao escolher as repostas que somente confirmam os pontos de vista que já temos, a verdade fica cada vez mais distante. E nossas decisões, baseadas nesse tipo de informações, podem nos levar à ruína.

A salvação para este risco eminente é o conhecimento.

Conhecimento é algo que vai muito além da informação. A professora Sílvia Possas, define em um texto de 1997, que a informação é uma proposição devidamente codificada sobre algum aspecto do mundo. Isso significa dizer que qualquer coisa que alguém diga sobre qualquer coisa é uma informação. Já o conhecimento vai muito além. No mesmo texto, a professora Possas diz que o conhecimento é um conjunto de elementos que incluí, além da informação, o referencial do receptor para decodificar a informação, aspectos subjetivos como intuição e criatividade, além da própria vivência do receptor da informação (POSSAS, 1997).

A informação, para ser útil, precisa ser transformada em conhecimento. E isso é o receptor que deve fazer, utilizando um referencial para exercer a crítica sobre a informação de avaliar sua validade e credibilidade. E essa é uma das razões para que um professor exista nestes tempos de informação tão abundante: estimular o pensamento crítico! Só com um referencial que faça o aluno questionar tudo e analisar uma informação antes de usá-la é que se gera o conhecimento e o desenvolvimento pessoal e social.

Referência:
POSSAS, S. (1997). “Conhecimento e atividade econômica”. In Economia e Sociedade, n. 8, p. 85-100. Campinas: IE/ UNICAMP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário